Sergio's Printed Words

WebLog Experience – notes about Digital World

Posts Tagged ‘Poetry

R3V0LUÇÃ0

leave a comment »

A revolução não vai
acontecer amanhã –
isso nunca vai acontecer.
Você pode não perceber.
Ela está acontecendo agora.
É um universo alternativo
que corre paralelo a este,
esperando por você para mudar de lado.

Written by sergiovds

junho 21, 2013 at 16:00

Publicado em my youthful texts

Tagged with ,

O preço da liberdade

leave a comment »

Se o preço da liberdade
é o meu corpo,
meu espírito pode voar bem alto.

Se o preço da liberdade
é a minha identidade,
você pode ver-se em mim.

Se o custo da liberdade
é o meu tempo,
então para sempre é meu presente.

Written by sergiovds

junho 14, 2013 at 19:23

Publicado em my youthful texts

Tagged with , ,

Impressões Digitais (outras):

leave a comment »

Depressões Abissais…
Intenções Orbitais,
Decisões Sociais,
Abluções Matinais.
Compressões Outonais,
Confissões Bestiais,
Criações Culturais;
Refeições Animais,
Adições Minerais,
Rejeições Vegetais;
Relações Veniais…
Dimensões Adicionais.
Vibrações Atonais:
Aflições Naturais.

Written by sergiovds

junho 7, 2013 at 20:22

Publicado em Uncategorized

Tagged with , ,

Ver-te

leave a comment »

Da ameia, um alerta
A cor dilacerada de tua íris
Esverdeia uma vida. Crua teia
E numa veia aberta
A dor esmaecida em gris
Sombreia em dúvida a lua meia.

É preciso queimar as pontes
E romper com o amanhā.
Responder o quanto antes
Abandonar os portos
E tal qual uma febre terçã
Nascermos após 3 dias, tortos.

Written by sergiovds

maio 31, 2013 at 00:24

Publicado em my youthful texts

Tagged with ,

Status

leave a comment »

Nauseabundo eu me encontro
Revirado e separado, desando
Sorumbático em plenilúnio, afronto
E meditabundo, meu banzo embalo.

Written by sergiovds

maio 13, 2013 at 17:50

Publicado em Uncategorized

Tagged with , ,

Almas

leave a comment »

Nossas velhas almas deveriam ser quaradas
como os lençois que minha vó estendia no quintal
ao sol, no zinco, alvos, azulados de tanto sol.
Cândidas, alvas, cheirosas e molhadas,
assim elas deveriam ser, estendidas
brilhantes, airadas e claras.

Written by sergiovds

maio 3, 2013 at 01:15

Publicado em my youthful texts

Tagged with ,

Luarando

leave a comment »

Eu rio, choro, me molho e me escorro
Por detrás das finas sombras luaradas.
Roto, maltrapilho, da puta, um tal filho
Recolho, torto, restos de almas lavadas.

Written by sergiovds

abril 20, 2013 at 00:26

Publicado em my youthful texts

Tagged with ,