Sergio's Printed Words

WebLog Experience – notes about Digital World

Archive for abril 2009

Custe o que Custar

leave a comment »

imagesMorro de rir com “baluartes” do pensamento contemporâneo – seja digital ou analógico – que põem-se a demonstrar a espécie, o incômodo, a aversão até com o consumo de informação (qual seja ela) marqueteada, patrocinada às claras ou não, embora promova e pratique isso diariamente!

Tais personagens, mormemente, “baixam o pau” na prática vendedora do e no social media, alardeando os seus medos da miscigenação informação+consumo através de informes pessoais. Até aí nada de mais, eu também temo uma derrocada da informação pela informação. Mas nos “entretantos”, é que caio na gargalhada… Pois, não é que justamente estes, mais esganiçados e peroradores contumazes, são aqueles que lançam mão dos mesmos meios e modelos para propagandear a si próprios, subrepticiamente!

Quaisquer que sejam as mídias, sempre, há uma formazinha de se marquetear, ou seja, vender o seu ou o alheio peixe… Então porque usar certas doses de puro mau-caratismo (posicionando até possibilidades de ações corruptas, ou criando ilações espúrias) mesmo que em meio a declarações de “preocupações quase humanísticas”?! Porque bater no peito e se arvorar na afirmação de nada receber – monetariamente – em troca de suas flood-informations constantemente alardeadas  e recheadas de auto-promoção!?

Cogito um ego assomado… pelo isolamento, pela reclusão. Só pode ser isso.

Anúncios

Written by sergiovds

abril 13, 2009 at 22:10

Publicado em comportamento, webworld

Tagged with ,

Auto-promessas

leave a comment »

imagemSei lá quantas vezes eu já ouvi as pessoas dizerem: “Putz! Não consegui cumprir a promessa que fiz a mim mesmo”… Deve ser algo católico-judaico-ocidental que nos move nessa auto-flagelação de “prometer” coisas a nós mesmos.
Há alguns anos quando percebi que inconscientemente estava nessa esparrela de “prometo a mim mesmo…”, parei, e botei os miolos moles e cinzentos para funcionar. Que raios de benesses uma auto-promessa nos propicia? Auto-realização? Sentimento de dever cumprido?
Nada disso! Apenas temos a sensação de executamos uma obrigação, e portanto, nos livramos da culpa de algo potencialmente chato e postergável, ou seja, cumprimos uma etapa não muito afeita à nossa corrente vital, pois a maldita é obrigatória! E para o ser humano basta ele ter consciência de que algo é obrigatório para ele se rebelar (para quem possui dúvidas a respeito recomendo a leitura das tirinhas do Calvin and Hobbles.
Então, eu já crescidinho, centrado e consciente dessa armadilha sócio-econômica (é isso mesmo, sócio-econômica; avalie se um ermitão convicto possui crises de consciência por não cumprir promessas… ele ´tá se lixando pro mundo), quando da decisão de manter este blog, nem cogitei a fortuita possibilidade de prometer a manutenção de periodicidade, datas, assuntos ou quaisquer outros fatores de contorno para a publicação das minhas idéias. Assim que elas surgissem eu simplesmente as publicaria…
E não é que hoje notei que há tempos não publicava nada!

Written by sergiovds

abril 12, 2009 at 21:59

Publicado em comportamento, webworld

Tagged with ,